Categoria: SUPLEMENTOS

Vitamina K- Para que serve, Onde Encontrar e Benefícios

Vitamina K- Para que serve, Onde Encontrar e Benefícios

As vitaminas são nutrientes essenciais para o funcionamento de todo o organismo, participando de inúmeras reações químicas do metabolismo. Estes nutrientes são substâncias orgânicas que o nosso organismo não consegue produzir e que devem ser obtidas através da alimentação saudável, garantindo um bem-estar físico e mental completo. 

Conheça abaixo o que é a vitamina K, saiba para que serve, sua função e benefícios, assim como os alimentos que contêm este nutriente.

O que é a Vitamina K?

As vitaminas são substâncias orgânicas fundamentais para o organismo e que estão presentes em pequenas quantidades nos alimentos. Elas participam de diversas funções metabólicas que são controladas pelas enzimas e pelas coenzimas. As vitaminas são indispensáveis no funcionamento do corpo, pois participam na forma de cofatores, participando de forma direta em muitos processos e desempenhando um papel vital no metabolismo celular.

Vitamina K Benefícios

O organismo humano promove a síntese de algumas vitaminas, porém necessita adquirir a maior parte através da alimentação e suplementação, sendo basicamente divididas em hidrossolúveis e lipossolúveis. Dentre as vitaminas lipossolúveis está a vitamina K que foi inicialmente descoberta pelo pesquisador Henrik Dam, em 1929, durante um estudo com galinhas, observando a hemorragia como um sinal característico de uma dieta livre de gorduras.

Nesta pesquisa, Henrik Dam verificou que o sintoma era aliviado pela ingestão de uma substância solúvel em gordura que ele chamou de vitamina K ou vitamina da coagulação. Desta forma, a vitamina K foi considerada um fator anti-hemorrágico que podia restabelecer as perturbações sanguíneas em alguns tipos de animais. Somente em 1939 esta vitamina foi isolada, passando-se a conhecer também sua estrutura química.

A vitamina K é encontrada em alimentos de origem animal e vegetal, possuindo maior concentração nas folhas verdes escuras. Esta vitamina está presente em diversas formas, como filoquinona sendo predominante, estando presente nos óleos vegetais e nas hortaliças, como dihidrofiloquinona, sendo formada durante a hidrogenação comercial dos óleos vegetais, como menaquinona, sendo sintetizada por bactérias e como menadiona que é um composto sintético a ser convertido no intestino.

A vitamina K é absorvida no intestino delgado e posteriormente transportada pelas vias linfáticas. Para que este transporte ocorra de forma adequada, é importante que haja um fluxo normal de bile e de suco pancreático, sendo necessário um teor adequado de gorduras na dieta.

Existem muitos fatores envolvidos na absorção desta vitamina, entre eles algumas doenças específicas, a secreção biliar, o estado nutricional do paciente, a má absorção intestinal, entre muitos outros.

Para que Serve a Vitamina K?

A vitamina K possui diversos benefícios à saúde, sendo fundamental para muitos processos no metabolismo, atuando em conjunto com outros tipos de nutrientes, entre eles outras vitaminas, minerais, enzimas, aminoácidos, antioxidantes e bioflavonoides.

Apesar da deficiência de vitamina K ser uma situação rara em adultos, muitas pessoas possuem sintomas e podem desenvolver doenças com a baixa quantidade desta vitamina, principalmente aquelas que já estão com o organismo debilitado em função de algum problema de saúde.

O uso de determinados medicamentos também pode causar uma deficiência de vitamina K, tais como alguns tipos de antibióticos e também alguns medicamentos anticoagulantes. Pacientes que utilizem estes tipos de medicamentos são normalmente orientados a utilizar suplementos ricos em vitamina K ou precisam aumentar a ingestão de alimentos contendo esta vitamina.

Pessoas com doença celíaca (intolerância ao glúten) também são suscetíveis a este problema, pois a absorção de nutrientes é prejudicada em função do problema.

Os principais sintomas que sinalizam uma possível deficiência deste nutriente são o aumento do sangramento menstrual, sangramento nas gengivas, sangramentos no nariz, fragilidades nos vasos sanguíneos, presença de hematomas ao longo do corpo, sangramento na urina, sangramento excessivo nas feridas, todos relacionados à baixa capacidade de coagulação sanguínea pelo organismo.

A importância do consumo adequado desta vitamina é enorme, evitando muitos sintomas e problemas de saúde por sua deficiência e também trazendo diversos benefícios com o seu consumo de forma adequada.

Benefícios da Vitamina K

Veja, a seguir, alguns destes benefícios da vitamina K:

– Promove a coagulação do sangue

A principal função da vitamina K é participar do processo de coagulação do sangue. Esta vitamina é parte essencial do ácido glutâmico, um aminoácido que participa de um processo chamado de carboxilação que permite que o sangue de uma ferida pare e coagule, evitando, assim, o excesso de sangramento. Além disso, alguns estudos mostraram que a deficiência desta vitamina pode gerar quadros de hemorragias, anemia, sangramento menstrual intenso, entre muitos outros.

– Promove a saúde dos ossos

A vitamina K é importante para a saúde dos ossos, pois esta tem a função de bloquear a formação dos osteoclastos que são as células ósseas que deixam os minerais essenciais para os ossos disponíveis para outras funções corporais. Este processo também é conhecido como desmineralização. Quando a formação dos osteoclastos não é controlada, os ossos podem perder muitos minerais, gerando diversos problemas.

Além disso, existe uma proteína chamada de osteocalcina que está diretamente relacionada à densidade mineral óssea e que é alterada através da carboxilação. Esta proteína é fundamental para fortalecer a saúde e a composição dos ossos. Estudos mostram que altas ingestões de vitamina K podem parar a perda óssea em pessoas com osteoporose.

– Aumenta a saúde cardíaca

Entre as muitas causas de ataques cardíacos, a calcificação das artérias é um deles. Esta vitamina transporta o cálcio das artérias e não permite que ele se forme em depósitos de placas duras. Ela também tem a função de auxiliar na prevenção do endurecimento das artérias, pois mantém o cálcio fora de seus revestimentos e outros tecidos do corpo.

– Reduz as dores da cólica menstrual

Esta vitamina atua na coagulação do sangue, evitando o sangramento excessivo durante o ciclo menstrual que pode aumentar as cólicas e a dor durante a menstruação. Estudos mostraram que a vitamina K pode ajudar na redução dos sintomas da TPM e que sua deficiência pode também aumentar e piorar estes sintomas.

Quais as Principais Fontes de Vitamina K?

O consumo de vitamina K deve ser feito preferencialmente através de uma alimentação saudável, mas a suplementação também pode ser uma recomendação dependendo de cada caso. Esta vitamina é necessária para a utilização de proteínas, na coagulação do sangue, na cicatrização e na reposição de nutrientes nos ossos. A quantidade recomendada deste nutriente é de 100 a 130 mcg por dia. Existem diversos alimentos ricos neste nutriente, veja alguns deles, a seguir:

  • Couve – Cada 70 g de couve possui, aproximadamente, 145 mcg de vitamina K;
  • Espinafre – Cada 60 g de espinafre possui, aproximadamente, 96 mcg de vitamina K;
  • Couve-de-bruxelas – Cada 80 g de couve-de-bruxelas possui, aproximadamente, 450 mcg de vitamina K, sendo um dos melhores alimentos ricos neste nutriente;
  • Brócolis – Cada 90 g de brócolis possui, aproximadamente, 250 mcg de vitamina K;
  • Couve-flor – Cada 50 g de couve-flor possui, aproximadamente, 150 mcg de vitamina K;
  • Alface – Cada 60 g de alface possui, aproximadamente, 120 mcg de vitamina K;
  • Cenoura – Cada 80 g de cenoura possui, aproximadamente, 110 mcg de vitamina K;
  • Pepino – Cada 100 g de pepino possui, aproximadamente, 76 mcg de vitamina K;
  • Ovos – Cada 50 g de ovo possui, aproximadamente, 24 mcg de vitamina K;

Conclusão

A vitamina K é uma vitamina lipossolúvel que é encontrada em alimentos de origem animal e vegetal, sendo fundamental para muitos processos no metabolismo, promovendo a coagulação do sangue, auxiliando na melhoria da saúde dos ossos, promovendo a saúde cardíaca, reduzindo as dores da cólica menstrual, entre muitas outras funções. Esta vitamina é facilmente encontrada em diversos alimentos, tendo papel fundamental na saúde.

Os 7 Melhores Suplementos Para Engordar

Os 7 Melhores Suplementos Para Engordar

Vivemos num mundo onde a maioria das pessoas lutam contra a balança, buscando loucamente formas de perder peso através de dietas, exercícios, medicamentos, suplementos e tudo mais.

O que muita gente não se dá conta é que o contrário também existe, ou seja, há pessoas que buscam suplementos para engordar.

Há varias situações onde ocorre a perda de peso e há uma eventual dificuldade em recuperá-lo. Não são casos de origem genética somente, há também situações diversos onde suplementos para engordar são necessários. Vejamos:

Ectomorfos 

Alguns indivíduos têm o metabolismo acelerado por natureza, e isso dificulta o ganho de peso, independente dos altos valores calóricos de sua alimentação. Nesses casos, muitos precisam recorrer a suplementos para engordar.

Melhores Suplementos para Engordar

Pessoas com câncer

Pacientes que estão passando por tratamento oncológico, quando submetidos a quimioterapia, invariavelmente perdem muito peso. Não é um tratamento fácil de ser seguido. O organismo fica extremamente combalido, frágil e o sistema imunológico se desregula totalmente. Os suplementos para engordar são importantes nessa fase.

Atletas de alta performance

Atletas que se submetem a treinos intensos e extenuantes precisam repor os sais minerais perdidos durantes esses treinamentos, como também alguns suplementos à base de proteínas, que ajudem na construção de massa magra.

Idosos

As restrições alimentares acometem a maioria dos idosos, como também a perda de massa muscular e óssea. Infelizmente, a maioria das pessoas que atingem essa fase apresenta patologias sérias ou moderadas, que as impedem de consumirem alimentos nutricionalmente ricos. Nesses casos, os suplementos para engordar poderão trazer grandes benefícios.

Convalescentes

Algumas cirurgias debilitam extremamente o organismo. Pessoas podem levar muito tempo até conseguirem se alimentar corretamente. Não havendo nenhuma restrição médica, suplementos alimentares para engordar também serão de grande valia para eles.

Vegetarianos/veganos

Embora extremamente saudável, a alimentação vegetariana, quando não seguida corretamente, poderá deixar a desejar quanto ao equilíbrio de nutrientes ingeridos.

A falta de proteínas provenientes de origem animal poderá ser suprida pelas proteínas vegetais, porém, os suplementos contendo vitamina B12 poderão suprir essa carência.

A alimentação vegetariana e/ou vegana é ótima, o problema é quando algumas pessoas não se informam corretamente sobre elas, criando um cardápio próprio, onde excluem nutrientes importantes.

Doentes Renais Crônicos

Esses indivíduos, fazendo ou não hemodiálise, passam por uma dieta altamente restritiva em relação a quase tudo. Costumam apresentar perda de peso acentuada, em decorrência da dieta que seguem. Nesse caso, antes de tomar algum tipo de suplemento alimentar, é imprescindível o aval de um nefrologista.

Quadros de alergias e intolerâncias

Temos um grande número de pessoas que apreciam alguns alimentos, mas se vêm impossibilitadas de consumi-los, por apresentarem alergia ou intolerância a eles.

Muitas vezes, essas pessoas são obrigadas a se submeter a restrições alimentares severas, perdendo muito peso. Para suprir essas carências, o uso de suplementos para engordar poderá ser muito bem vindo.

Mulheres em Fase de Amamentação 

Nessa fase, a mulher fica carente de cálcio, uma vez que boa parte dele vai diretamente para o leite materno, enquanto os bebês, nesse período, precisam de vitamina D.

Em alguns casos, as mulheres costumam perder bastante peso nesse período. Sob aconselhamento médico, os suplementos serão bons coadjuvantes.

Melhores suplementos para Engordar

Uma vez detectadas as causas da dificuldade do ganho de peso, vamos passar os melhores suplementos alimentares para engordar que existem. São eles:

1. Hipercalóricos

Seu nome é auto-explicativo. Esse tipo de suplemento trará uma dose extra de calorias, que aumentará consideravelmente os valores nutricionais da dieta.

Os suplementos hipercalóricos são compostos por proteínas de alto valor biológico, altas concentrações de carboidratos, aminoácidos, ômega 3 e 6, complexo multivitamínico e sais minerais.

Para quem precisa obter melhores resultados, agregue o Whey Protein ao programa de ganho de peso.

2. Whey Protein

Feito à base do soro do leite, é uma fonte de muita proteína, que ajuda na construção e reparação do tecido muscular. É muito simples de ser utilizado, bastando misturá-lo à água, leite ou suco. É um ótimo suplemento para ajudar no ganho de peso.

3. BCAA

Traz 9 aminoácidos essenciais, ajuda a ganhar peso e massa muscular. Os praticantes de exercícios ganharão massa muscular, já os sedentários engordarão com BCAA.

4. Glutamina

A glutamina é um aminoácido que se converte em glicose, por esse motivo, está ligada ao ganho de peso.

5. Creatina

O ganho de peso com o consumo da creatina acontecerá de duas formas: inicialmente, haverá um pouco de acúmulo de líquido, que será acusado pela balança. Depois de algum tempo, o novo peso será pelo ganho de massa muscular.

6. Maltodextrina

A Maltodextrina tem como principal propriedade a liberação de glicose para o sangue, de forma lenta e gradual. É um carboidrato com altos índices de glicose.

7. Dextrose

É um suplemento à base de glicose, portanto, temos aqui um componente que facilita o ganho de peso.

Os riscos de superdosagem

Muitos consumidores extrapolam as doses diárias recomendadas de suplementos para engordar, tanto pelo fabricante, quanto por um profissional da área.

Além de não respeitar a dosagem, ocorre também a ingestão de diversos tipos de suplementos ao mesmo tempo, na tentativa de conseguir melhores resultados em menor tempo.

Não se deve ultrapassar os 100% das doses diárias recomendadas para vitaminas e sais minerais, e não se deve esquecer que a falta de nutrientes é prejudicial, bem como seu excesso.

Considerações finais

Via de regra, todos os suplementos para engordar listados acima também são utilizados por atletas. Obviamente, surgirá a dúvida: como os atletas, tomando esses suplementos, não engordam? A resposta está na atividade física.

Enquanto que para os atletas, os suplementos dão energia durante e após os treinamentos, para pessoas comuns, na maioria das vezes sedentárias, tomar as mesmas doses de suplementos, provavelmente os faz ganhar peso.

Da mesma forma que os atletas ganham massa magra com os suplementos, quem os toma para engordar, conseguirá tecido adiposo. Se o intuito é engordar, esses suplementos são os mais indicados.

Whey 0 Carboidrato Vale a Pena Comprar?

Whey 0 Carboidrato Vale a Pena Comprar?

Como o próprio nome já indica, o whey 0 carboidrato é um suplemento de whey protein sem carboidratos.

Ainda que não se possa dizer que o produto não possui quantidade alguma de carboidratos, é possível encontrar versões do whey em sua forma isolada ou hidrolisada que contêm apenas traços de carboidratos, ou seja, em que a quantia do nutriente encontrada no suplemento é quase nula.

Em muitas versões de whey isolado e da proteína de caseína é possível encontrar até 3 g de carboidratos por porção. Então, se você não deseja carboidratos de forma alguma no produto, é bom ficar atento ao painel nutricional.

Para se chegar a um whey 0 carboidrato, o produto passa para uma filtragem extra que garante uma maior concentração de proteínas e uma assimilação mais rápida pelo organismo. Isso acaba fazendo o produto ficar bem mais caro do que um whey protein concentrado comum. Mas será que compensa comprar esse produto “premium”? Será que vale a pena o seu custo benefício?

O whey 0 carboidrato Vale a Pena?

Para falarmos do whey 0 carboidrato, vamos assumir que estamos nos referindo ao whey isolado, que como acabamos de mencionar carrega quantidades bem pequenas de carboidratos.

Vale a Pena Usar o Whey 0 Carboidrato

Esse tipo de whey protein passar por um processo de filtragem mais profundo que a versão concentrada do whey protein, o que proporciona uma diminuição no teor de lactose, carboidratos e gordura e resulta em um produto com uma composição de 90% de proteínas. Isso significa que em uma porção de 100 g da versão isolada do whey protein encontram-se 90 g de proteínas.

Um whey protein hidrolisado é um whey protein isolado que passou por processos adicionais de filtragem.

Um dos casos em que o whey com o teor mais baixo de carboidratos, lactose e gorduras vale a pena é para as pessoas que sofrem com a intolerância à lactose. A explicação é que enquanto o whey concentrado tem certa quantidade, ainda que pequena do açúcar do leite, o whey isolado carrega quase nada da substância.

Assim, quem sofre com a condição pode sofrer com reações adversas como inchaço e gases ao experimentar o whey concentrado. Logo, para essas pessoas, o modelo isolado do whey protein é o mais indicado.

Por outro lado, o whey concentrado é o mais apropriado para os indivíduos que almejam a manutenção de um peso corporal saudável e estejam fazendo uso de shakes de proteínas durante os intervalos das refeições para controlar o apetite.

A justificativa é que o whey concentrado é digerido de uma maneira um pouco mais devagar do que o whey isolado, o que faz com que o organismo sinta-se saciado durante mais tempo.

Já para quem se dedica a treinamentos de musculação e deseja alcançar a maximização de sua recuperação muscular, o uso do whey isolado com poucos carboidratos pode ser o ideal graças ao fato do suplemento ser absorvido de maneira mais rápida.

O whey hidrolisado – e particularmente ele – traz esse mesmo efeito ao organismo. Com isso, a proteína fica disponível para ser decomposta e utilizada pelo organismo com maior facilidade.

Outro ponto importante a ser considerado é que o whey protein isolado é comercializado por um preço mais caro do que o concentrado e que pode perder uma quantidade de substâncias que beneficiam a saúde encontradas no whey concentrado, ainda que apresente uma quantia mais significativa de proteínas.

Para quem não tem intolerância à lactose e deseja um whey comum para auxiliar a melhorar a saúde e não quer ou não pode gastar tanto, recomenda-se o whey concentrado com um teor de, no mínimo, 80% de proteínas.

Por outro lado, para os indivíduos que desejam um whey puro, que possa ser absorvido rapidamente, seja leve para o estômago e que não se importam em ter que gastar mais dinheiro, aconselha-se um whey isolado ou hidrolisado.

Cuidados a Escolher o seu Suplemento de whey 0 Carboidrato

Para saber se o produto é realmente indicado para você e vale a pena para o seu caso, é fundamental que você defina quais são os seus objetivos. Depois disso, vale a pena contar com a ajuda de um nutricionista e de um personal trainer para ter ajuda na hora de escolher qual suplemento de whey protein zero carbo é o melhor para você, em relação tanto às suas metas quanto à sua saúde.

O auxílio dos profissionais também é fundamental para a determinação de uma dieta apropriada e um cronograma de treinamentos adequado aos objetivos que se desejam atingir. Até porque o uso exclusivo do suplemento, sem se preocupar com a alimentação ou o treino não é capaz de causar o crescimento e/ou definição muscular e a perda de gorduras no corpo.

Whey Protein Realmente faz Mal Para o Fígado?

Whey Protein Realmente faz Mal Para o Fígado?

Você provavelmente já deve ter ouvido falar do Whey Protein, não é mesmo? Trata-se de um suplemento bastante popular e famoso entre pessoas que frequentam academias e fazem treinamentos com foco no crescimento e cultivo de massa muscular no corpo.

Entre os benefícios atribuídos ao uso desse suplemento, estão a preservação dos músculos, o auxílio à perda de gorduras, aumento da massa e da força muscular, contribuição com o controle do apetite, e, inclusive, a melhoria da imunidade.

Mas será que o whey protein faz mal para o fígado quando tomado em excesso? Há algum outro possível dano que possa causar ao organismo? É o que vamos conferir abaixo.

O que é o Fígado?

O fígado é a maior glândula que existe no organismo humano, que oferece suporte a praticamente todos os outros órgãos do corpo. Não é possível para uma pessoa sobreviver sem que ela tenha um fígado saudável.

Suplementos Faz Mal Para o Figado?

O órgão é responsável pela produção de uma substância chamada bile, que é necessária para a digestão de gorduras. O fígado atua na desintoxicação do sangue para a eliminação de substâncias prejudiciais como álcool e drogas e no armazenamento do mineral ferro e de algumas vitaminas.

O órgão trabalha ainda no armazenamento de glicose, na conversão do açúcar armazenado em açúcar funcional nos períodos em que os níveis de glicose estão abaixo do normal e na decomposição da hemoglobina, da insulina e de outros hormônios.

Mas não termina por aí – o fígado converte a amônia em ureia, algo descrito como vital para o metabolismo, e atua na destruição dos glóbulos vermelhos velhos.

Será que o Whey Protein faz mal para o Fígado? 

Como acabamos de aprender, o fígado é realmente muito importante para diversas funções do nosso organismo. Por conta disso, antes de usar qualquer tipo de suplemento, incluindo o Whey Protein, é fundamental saber se e como ele pode afetar o órgão, mesmo com todos os benefícios e vantagens que o produto em questão prometa trazer.

Pois bem, especialistas afirmam que não é correto afirmar que o Whey Protein faz mal para o fígado. Inclusive, conforme o Centro Médico da Universidade de Pittsburgh, nos Estados Unidos, o suplemento apresenta doses elevadas de um aminoácido chamado cisteína.

Segundo a publicação, o organismo utiliza a cisteína presente na composição do suplemento para a produção da glutationa, que é descrita como um poderoso antioxidante natural, que é importante para o sistema de defesa antioxidante do organismo.

O Centro Médico da Universidade de Pittsburgh explicou ainda que essa substância trabalha principalmente no fígado para proteger o corpo contra os radicais livres, as toxinas e a oxidação prejudicial ao organismo.

O Whey Protein e as Doenças no Fígado 

O Centro Médico da Universidade de Pittsburgh esclareceu também que as pessoas que sofrem com doença no fígado ou danos no fígado tendem a apresentar níveis mais baixos de glutationa.

Tomar o suplemento pode ajudar a aumentar os níveis da glutationa em pessoas com problemas hepáticos e o Sistema de Saúde da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos afirma que o Whey Protein pode contribuir, em especial, com os casos de hepatite viral.

Entretanto, vale ressaltar que nenhuma pesquisa médica conclusiva oferece suporte à ideia de que o suplemento pode ser utilizado neste sentido. Portanto, ainda que não seja correto dizer que o Whey Protein faz mal para o fígado, também não podemos bater o martelo e determinar que o produto pode colaborar com o tratamento de doenças no órgão.

Mostra disso é que ainda que se considere que o Whey Protein possa auxiliar de alguma maneira o tratamento do dano hepático provocado por doenças do fígado e hepatite, o Centro Médico da Universidade de Pittsburgh ressaltou que o suplemento não necessariamente traz cura para a doença ou reversão para o dano que já foi desenvolvido no órgão.

O objetivo de usar o produto neste sentido é aumentar os níveis de glutationa, o que não exclui a necessidade de se submeter ao tratamento convencional para esse tipo de condição.

Assim, para quem já foi diagnosticado com algum tipo de problema no fígado, vale a pena seguir as orientações do médico em relação ao tratamento e sempre questioná-lo se tomar determinado suplemento prejudicará ou não a sua condição.

O Whey Protein deve ser tomado para auxiliar o fígado apenas se isso for recomendado pelo médico que é responsável pelo tratamento.

Veja Por outro lado

Ao falar sobre os efeitos colaterais que podem ser provocados pela utilização do suplemento, a Mayo Clinic, que é uma organização dos Estados Unidos da área de serviços médicos e pesquisas médico-hospitalares, afirmou que o Whey Protein pode causar danos ao fígado em determinados casos.

Para pessoas que já sofrem com algum tipo de dano no fígado, aumentar a sua ingestão de proteínas pode causar dano futuro ao órgão. A explicação é que os indivíduos que sofrem com o fígado danificado não são capazes de processar a proteína de maneira apropriada.

Completando a explicação, o excesso da ingestão de proteínas em casos como esse pode provocar o acúmulo de resíduo tóxico no cérebro.

Uma pesquisa divulgada no ano de 2008 e feita pelo médico dos Estados Unidos, Kerry Whitt, ao lado de demais colegas, que estudou um caso de lesão colestática (diminuição ou parada do fluxo de bile do fígado) no fígado, associada ao uso dos suplementos Whey Protein e Creatina, alertou que em casos de pacientes com lesões hepáticas agudas, os médicos devem questionar a respeito dos suplementos que são usados por eles e considerar a descontinuação imediata de todos os produtos que forem desnecessários.

Por sua vez, o site Liver Support defendeu que a não ser que a pessoa tenha uma forma avançado de doença no fígado que restringe o consumo de proteínas, a suplementação com proteínas em pó, em particular o Whey Protein, pode ser útil para quem possui um fígado debilitado.

A página argumentou que além de estimular os níveis de glutationa para a proteção do fígado, o Whey Protein fornece aminoácidos que colaboram com a regeneração hepática e com a produção de energia e pode ajudar a diminuir a acumulação de gorduras no fígado pelo fato do suplemento contribuir com a elevação da saciedade do corpo.

Portanto, isso é mais uma mostra que o uso do suplemento para quem já sofre com problemas no fígado pode ter dois lados, dependendo do estágio em que a condição se encontra, e que o consumo do Whey Protein precisa ser avaliado e determinado pelo médico.

Além disso, para quem tem problemas hepáticos é importante checar com o médico responsável pelo tratamento como deve funcionar a ingestão diária de proteínas, de modo que não sejam cometidos excessos prejudiciais à saúde do organismo.

5 Remédios que irá Fazer Você Engordar Rápido

5 Remédios que irá Fazer Você Engordar Rápido

Existe muita gente que faz dieta para emagrecer e se espanta ao saber que algumas pessoas precisam de uma dieta específica para ganhar peso e até mesmo fazer uso de remédios para engordar rápido.

Isso acontece porque algumas pessoas têm o metabolismo muito acelerado. Normalmente. estas pessoas têm o tipo físico bastante magro e querem ganhar peso e massa muscular.

Por isso, trazemos algumas dicas de remédios para engordar rápido que podem ajudar quem luta para ganhar de peso, além de algumas dicas de alimentação que vão ser essenciais para engordar com saúde.

Por que para Algumas Pessoas é tão Difícil Engordar?

Algumas pessoas possuem o metabolismo muito rápido e isso é uma herança genética. Mesmo assim, podem existir outros motivos pelos quais você não consegue engordar.

1. Você não está comendo o suficiente

Se você tem o metabolismo rápido, talvez não coma o suficiente para engordar. Isso porque, para ganhar peso, precisamos ingerir mais calorias do que queimamos, e quem tem o metabolismo acelerado perde calorias muito facilmente.

Remédio Para Engordar

Cada refeição deve conter quantidades consistentes de proteínas de qualidade, carboidratos complexos e gorduras poli ou monoinsaturadas. Especialistas recomendam que uma pessoa com dificuldade de engordar faça pelo menos 4 grandes refeições ao dia e que não fiquem mais de 3 horas sem comer.

2. Você está ingerindo os alimentos errados

Não adianta nada comer com frequência e em grandes quantidades se os alimentos que você consome não contêm os nutrientes necessários para você ganhar peso.

Como dissemos, você precisa focar em alimentos que contêm boas doses de proteínas, carboidratos e gorduras boas. Aqui vai uma lista com alguns alimentos que podem ajudar:

  • Ovos;
  • Batata doce;
  • Abacate;
  • Granola;
  • Espinafre;
  • Pães integrais;
  • Arroz integral;
  • Grão de bico, lentilha, feijão, ervilha e outros grãos;
  • Amendoim, nozes, amêndoas e outras castanhas;
  • Salmão, atum, sardinha ou outros peixes com alto teor de gordura.

3. Você não está se exercitando como deveria

Isto é, estamos supondo que você está se exercitando, pois esta é uma ótima forma de ganhar peso e músculos, além de ser a melhor forma de ver bons resultados em pouco tempo.

Exercícios aeróbicos servem para queimar gordura, mas não para criar músculos. Por isso, foque-se em treinos com peso para obter melhores resultados.

Remédios para Engordar Rápido

Se você já segue uma dieta regrada e faz exercícios com regularidade, você pode tentar usar alguns remédios que engordam rápido para ajudar no seu processo de ganho de peso.

Aqui vai uma lista dos principais remédios para engordar rápido e como eles funcionam:

1. Cobavital

Uma combinação de cloridrato de ciproeptadina, um forte estimulante de apetite, e de cobamamida, uma substância encontrada na vitamina B12 e que colabora com a síntese de proteína, o Cobavital é um dos remédios para engordar mais populares do mercado.

Ele normalmente é escolhido porque não tem em sua composição nenhum elemento esteroide, diminuindo os riscos de efeitos colaterais indesejados.

O Cobavital deve ser usado por pessoas que já fazem exercícios físicos, pois, além de ajudar no ganho de apetite, ele vai ajudar no ganho de massa e resistência muscular.

Por ser um anabolizante sem a presença de esteróides, o Cobavital é normalmente escolhido por quem não quer tomar nenhum remédio muito forte para não correr riscos de sofrer com efeitos colaterais graves.

De qualquer forma, todos os medicamentos podem causar efeitos colaterais e no caso do Cobavital são sonolência e sentimento de sedação. Outros sintomas que podem aparecer são a secura das mucosas, náuseas, agitação e confusão mental.

2. Buclina

Seu principal composto é o dicloridrato de buclizina, um poderoso estimulante de apetite que age no corpo de forma a causar uma pequena hipoglicemia, que vai ser interpretada no cérebro como sensação de fome.

A buclina não possui nenhum tipo de anabolizante, portanto seu preço pode ser mais barato que outros medicamentos. Muitas vezes, é recomendado o uso da Buclina com algum outro medicamento, como o Complexo B, para dar melhores resultados.

Os efeitos colaterais são excesso de sono, provocado por substâncias que agem como sedativo no nosso organismo.

3. Apetil

Este é um medicamento similar à Buclina, já que possui em sua composição o mesmo composto, dicloridrato de buclizina.

Possui um efeito hipoglicemiante, ou seja, aumenta a produção de insulina, diminuindo a concentração de açúcar no sangue. Isso faz com que o cérebro indique ao corpo que precisa de mais comida.

Os efeitos colaterais do Apetil estão relacionados a dor de cabeça, tontura, sonolência, irritação e secura da boca.

4. Profol

O profol é um suplemento alimentar que também contém o dicloridrato de buclizina, mas em sua composição também está a lisina. Trabalha como estimulante de apetite, mas por conter a adição de vitamina B6, vitamina B12 e tripofano, este medicamento ajuda quem precisa de complementação vitamínica, principalmente as do complexo B.

Sua composição colabora com um maior aproveitamento nutricional dos alimentos consumidos, fazendo com que a absorção de vitaminas e aminoácidos essenciais para a nossa saúde seja feita com maior eficiência.

Efeitos colaterais deste medicamento podem ser o excesso de sono, principalmente nas primeiras semanas de uso, secura das mucosas e dor de estômago.

5. Complexo B

Quem tem problemas de apetite pode tomar também o suplemento alimentar Complexo B para regular a fome. Este medicamento sozinho não tem o poder de estimular o apetite, mas sim de regular. Funciona para pessoas que por algum motivo estão com dificuldade de comer, mas não vai dar resultados para quem não tem problemas de apetite.

Além disso, este é um suplemento vitamínico que vai dar as quantidades necessárias por dia de todas as vitaminas do complexo B, muito importantes para a nossa saúde.

Efeitos Colaterais

A maioria destes remédios para engordar rápido tem efeitos colaterais parecidos. São eles:

  • Excesso de sono;
  • Secura nas mucosas;
  • Distúrbios gastrointestinais;
  • Náuseas;
  • Irritação;
  • Tontura;
  • Dor de cabeça.

Dicas e Recomendações

É importante ressaltar que estes são medicamentos que aumentam o apetite e fazem ganhar peso, por isso devem ser tomados apenas por pessoas que realmente têm dificuldade em engordar.

Para ter bons resultados, é preciso aliar o uso de algum destes medicamentos a uma dieta saudável e uma rotina de exercícios físicos, além, é claro, de não ultrapassar a dosagem recomendada pelo fabricante.

Antes de tomar qualquer medicamento, faça sempre uma consulta com o seu médico para se informar dos prós e contras de cada composição, principalmente se você já faz o uso de algum medicamento. Além disso, ele pode te ajudar com outras dicas sobre o ganho de peso.

Nunca tome mais do que o recomendado pelo fabricante ou médico, pois isso pode afetar negativamente o tratamento e até prejudicar a sua saúde.

Se notar efeitos negativos após iniciar o uso de algum destes medicamentos, suspenda o uso e fale com um médico.

Uma dica que pode ajudar muito a melhorar a alimentação, o que é fundamental para o ganho de peso, é se envolver mais na preparação dos alimentos. Aprender a cozinhar pode estimular o apetite e conhecer o que você está comendo vai te ajudar a fazer melhores escolhas na hora de comer.